Do ponto de vista das criaturas fantásticas

Essa tirinha do quadrinista Zach Weinersmith traz uma crítica e uma ideia em torno da literatura fantástica:

imagem: Zach Weinersmith

O dragão diz que odeia a forma como os humanos fazem histórias de dragão, pois o narrador escolhe uma linguagem que, da vivência dracônica, é ridícula: inventa nomes e faz descrições que a todo tempo falam de garra, fogo e asas, quando isso seria trivial para qualquer dragão, então não apareceriam dessa forma na linguagem. Em contrapartida, o humano lembra como os dragões escrevem humanos, e o pequeno texto final dá o exemplo: são descritos pescoços curtos, cérebros pequenos, falta de pelos, dentes quadrados.

Isso faz pensar sobre a construção dos pontos de vista nas histórias e sobre como é preciso se deslocar do próprio mundo para isso. Além disso, nos sugere um desafio: escrever da perspectiva das criaturas fantásticas.

Escrever pela ótica animal não é inusitado: em fantasia, George R. R. Martin faz isso às vezes nas Crônicas de Gelo e Fogo (quando algum dos seus personagens encarna um lobo), e o recurso está presente nos clássicos de Jack London como Caninos Brancos. Escrever como um dragão, ou como um leprechaun, ou como um saci, ou como um súcubo, ou como uma caapora parece menos comum.

Que texto você consegue criar com isso em mente?

Quanto aos dragões, um tópico do Reddit trouxe, em 2021, esse prompt: “No nosso universo, humanos escrevem romances de fantasia sobre voar nas costas de dragões. Em um universo alternativo, dragões escrevem livros sobre carregar humanos”.

[WP] In our universe, humans write fantasy novels about riding dragons. In an alternate universe, Dragons write books about carrying humans.
byu/GaBeRockKing inWritingPrompts

Veja se alguma das produções te inspira e escreva o seu.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *